og:site_name - speechfono
 

O papel da REGULAÇÃO na terapia FONOAUDIOLÓGICA.

Você já ouviu em algum momento que: criança desregulada não aprende? E é verdade.

Estudos têm demonstrado que crianças dominam os processos de aprendizagem de fala e linguagem através de um maior controle das motivações e dos aspectos cognitivos e contextuais, obtendo melhores resultados e melhor prognóstico em relação a esses aspectos.

Não adianta iniciar a intervenção fonoaudiológica com a criança chorando demais, ou agitada demais ou gritando demais, ela precisar estar regulada. Dessa forma, ela aumenta o tempo de engajamento, aumenta a atenção sustentada, aumenta contato visual, aumenta imitação e aumenta intenção comunicativa evoluindo assim em comunicação social.

O Modelo Jasper de Intervenção trabalha em cima desses conceitos:

- Engajamento.

- Jogo simbólico

- Comunicação Social

- REGULAÇAO.

Sempre comece pelo quarto iten: REGULAÇÃO. Converse com a terapeuta ocupacional do seu filho ou paciente e descubram mecanismos que se encaixam na auto regulação dele. Podem ser estímulos vestibulares, cefaló-caudais, proprioceptivos, de tato profundo, entre outros, mas que serão feitos de acordo com o perfil sensorial individual da criança.

Costumamos dizer que a base de qualquer intervenção é a regulação, no caso das terapias fonoaudiológicas também. Para crianças com apraxia de fala e atraso motor de fala com TEA a regulação é mais importante ainda. É só por meio dela que a criança vai aprender novos padrões motores de fala e será

capaz de organizá-los de forma funcional e espontânea para generalização. A seguir, colocamos em imagens o passo a passo pra você acompanhe o nosso pensamento, e para que você já conheça a estrutura do Modelo Jasper de Intervenção, porque falaremos bastante sobre ele!

Veja também a nossa postagem completa lá na nossa página do Instagram e participe das nossas enquetes para receber todos os artigos.




65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo